Últimas notícias

Taxista de BH confessa ajuda da PM e acredita que guerra contra o Uber “vai dar em morte”

O conflito entre taxistas e motoristas que prestam serviço por meio do aplicativo Uber não tem hora para acabar. De acordo com os próprios profissionais envolvidos, trata-se de uma verdadeira guerra, inclusive com previsão de mortes em um futuro próximo. E com a participação da Polícia Militar.

Um taxista, sem saber que a conversa estava sendo gravada, deu detalhes da rixa com os motoristas do Uber. Ao ver um concorrente “tripulando” (recebendo passageiros, na linguagem da categoria), correu para avisar seus colegas pelo rádio.

“Isso está uma guerra, enquanto não dê morte”, disse o taxista. “Mas vai dar”, completou. “Vai porque tem bandido do lado de lá e do lado de cá”. Segundo o motorista, uma briga na porta da casa noturna Alambique resultou em quebra-quebra, com prejuízos para os dois lados.

PM do lado dos taxistas

Na conversa, o taxista revelou que a classe tem recebido ajuda da Polícia Militar. “A polícia está do nosso lado. Nós temos umas viaturas apoiando a gente. Já pegamos seis só hoje”, disse, para depois explicar como é o envolvimento dos militares. “Nós denunciamos. Só por transporte ilegal, dá uma multa de 85 reais. Se o carro estiver com os documentos em dia, beleza. Se não estiver, eles são rebocados”.

Tem sido corriqueiro o ataque de taxistas a carros do Uber. Na gravação, contudo, o taxista revelou que um táxi já apareceu “todo quebrado em um crocó (lugar ermo, sem movimento)”. O motorista, porém, disse não acreditar que tenha sido obra dos rivais. “O padrão deles lá é outro, né”, disse, aos risos.

Escute a gravação completa: